Friboi é campeã em doações ao PMDB e ganhou R$ 10 bilhões do BNDES

A operação Carne Fraca vai mais longe do que se imagina
A JBS – mais conhecida pela marca Friboi – foi a empresa que mais distribuiu dinheiro a partidos e candidatos nas eleições de 2010 e 2014, com R$ 51 milhões em doações, segundo dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os números referem-se à primeira parcial de doações. Até a realização do pleito, em 5 de outubro, foi divulgada uma nova parcial. Os números consolidados com o total de doações foram divulgados em novembro, após a realização do segundo turno.

O montante doado em 2014, entretanto, superou de longe o que a JBS distribuiu ao todo em 2010: R$ 30 milhões. Naquele pleito, o grupo já figurava entre as dez maiores doadoras de campanha.

Os dados do TSE mostram que a JBS não discrimina ao doar: partidos de diferentes ideologias, governistas, da oposição e até os que se postulam à terceira via, como o PSB, receberam aportes do grupo.

O mais beneficiado pelo grupo, que tem o cantor Roberto Carlos e o ator Tony Ramos como garotos-propaganda, foi o PMDB, que recebeu R$ 13,6 milhões, dos quais R$ 6,6 milhões foram direcionados ao diretório da sigla no Rio de Janeiro, que teve Luiz Fernando Pezão como candidato ao governo – foi eleito dentro do esquema do Cabral (PMDB). Outros R$ 5 milhões foram doados ao diretório peemedebista no Mato Grosso do Sul, Estado em que Nelson Trad Filho que disputou o governo pelo partido.

Junior Friboi, irmão de um dos donos da JBS, filiou-se ao PMDB em 2013 com o objetivo de sair candidato ao governo de Goiás. Entretanto o grupo preferiu investir na candidatura de Íris Rezende.

(da Redação com informações do UOL) e juntospelobrasil.com