URGENTE: A POLÍCIA MILITAR DECIDIU PARAR!


A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros estão paralisando em diversos estados brasileiros.

Os militares querem a saída imediata do PLP 257.

A mensagem escondida no PLP 257 é: “Parem de gastar com o serviço público para pagar os credores da dívida. Essa é a prioridade. Diminuam o Estado, o alcance do Estado, os serviços à população e paguem a dívida”. Não está clara para a população que é essa a mensagem e que essa dívida é impagável, indefensável, criada para submeter os povos.

A PEC 241/16 é a perspectiva de constitucionalizar, ou seja, de constar na Constituição Federal de 1988 todos os ataques, todas as restrições e regressões de direitos, todas as medidas antipopulares, contra a sociedade e o povo que o governo pretende fazer. Esta PEC torna constitucional uma série de ataques aos direitos e aos serviços que estão sendo feitos por outras medidas, inclusive pelo PLP 257. O PLP 257, assinado ainda pela ex-presidente Dilma Rousseff, e a PEC 241, assinada pelo Michel Temer, tem o mesmo objetivo: congelar, frear, parar, suprimir e reduzir os gastos com serviço público. Isso vale para salários, direitos dos servidores e para a quantidade de serviços colocados à disposição da população, como saúde, educação, segurança…tudo para pagar os credores da dívida. Os efeitos sociais serão dramáticos.

De acordo com o deputado Sargento Rodrigues os militares ficarão aquartelados até que os governadores decidam agir.

“A partir de agora todos os policiais e bombeiros de Minas Gerais cruzarão os braços. Hoje (08) e amanhã todos chegarão aos quartéis e não sairão as ruas”, disse o deputado Sargento Rodrigues.

Em Minas Gerais são 36 municípios afetados.

Espírito Santo, Minas Gerais, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Sul, Alagoas e o Rio de Janeiro cruzarão os braços.

Veja Mais em http://juntospelobrasil.com/urgente-a-policia-militar-decidiu-parar/