Urgente: Piora o estado de saúde de Marisa Letícia, novas informações agora


Segundo informações da Revista Veja, nestas últimas duas horas, o estado de saúde de Marisa Letícia se agravou. Ela sofreu de anisocoria, caracterizada pelo tamanho desigual das pupilas. A condição mostra que uma região importante do tronco cerebral pode estar sofrendo com hemorragia.

Hoje pela manhã os médicos já haviam constatado piora na inflamação cerebral. O problema é provocado pelo que se chama na medicina de hiperemia (aumento da quantidade de sangue circulante num determinado local), como foi no caso do AVC de Marisa.
A ex-primeira-dama dama sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico na última terça-feira (24). Do tipo mais grave, consiste na ruptura da parede da artéria, com ocorrência de hemorragia.
Veja também: Em boletim desta segunda-feira os médicos já haviam encontrado uma trombose.
A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, de 66 anos, foi submetida a uma passagem de um filtro de veia cava inferior na tarde desta segunda-feira, no hospital Sírio Libanês. O procedimento, conforme informa boletim médico divulgado na tarde desta terça-feira (31), teve o objetivo de prevenir a ocorrência de uma embolia, após um exame de ultrassom ter detectado “a presença de trombose venosa profunda dos membros inferiores”.
O boletim médico explicaainda que não há anormalidades na “coagulação, função renal ou hepática da paciente. De maneira geral, o quadro clínico permanece estável. O documento, no entanto, é mais descritivo que os anteriores e trata do controle neurointensivo, informando que a esposa do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva vem “apresentando melhora progressiva dos parâmetros evolutivos neurológicos – tomografia de crânio, ultrassonografia doppler transcraniano e pressão intracraniana”.

Leia o documento na íntegra
“A paciente Marisa Letícia Lula da Silva, 66 anos, internou-se no Hospital Sírio-Libanês no dia 24 de janeiro de 2017, com o diagnóstico de Hemorragia Subaracnóide Fisher IV. Imediatamente após a admissão hospitalar, a paciente foi submetida à embolização de aneurisma cerebral. Não houve intercorrências no procedimento.
Após o procedimento, a paciente foi submetida à passagem de um cateter para monitorização intra-ventricular da pressão intracraniana.
Desde a admissão hospitalar até a presente data, a paciente permanece com controle neurointensivo, apresentando melhora progressiva dos parâmetros evolutivos neurológicos – tomografia de crânio, ultrassonografia doppler transcraniano e pressão intracraniana.
A paciente permanece estável do ponto de vista cardiovascular, com níveis normais de pressão arterial sem necessidade de utilização de medicamentos para controle pressórico, apresentando ecocardiograma seriadamente normal.
Não há anormalidades na coagulação, função renal ou hepática da paciente. Na tarde de ontem, em exame de rotina, foi detectada ao ultrassom a presença de trombose venosa profunda dos membros inferiores. Foi então realizada a passagem de um filtro de veia cava inferior com o objetivo de prevenir a ocorrência de embolia.

O quadro clínico permanece estável.