Tenso, militantes do PT ignoram as grades e hostilizam Michel Temer ao visitar Lula no Hospital, siga


O presidente Michel Temer viajou de Brasília a São Paulo na noite desta quinta-feira para prestar solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja mulher, Marisa Letícia, está internada na UTI do hospital Sírio-Libanês sem fluxo cerebral, em quadro irreversível.

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que levou Temer ao encontro de Lula decolou por volta das 20h10 da base aérea de Brasília e pousou pouco antes das 22h na capital paulista. O peemedebista chegou ao Sírio-Libanês às 22h30 a bordo de uma van e foi recebido pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, que coordena a equipe médica que cuida da ex-primeira-dama.

Temer estava acompanhado do ex-presidente José Sarney, do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do chanceler José Serra, do futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, do novo presidente do Senado, Eunício Oliveira, além dos senadores Edison Lobão, Cássio Cunha Lima e Eduardo Braga.

A comitiva de Temer entrou no hospital pela entrada principal, onde se concentram militantes petistas e a imprensa. Grades foram colocadas para isolar a passagem das autoridades, mas a barreira não impediu hostilidades ao grupo.

O presidente, os ministros e senadores não deram declarações aos jornalistas nem na chegada, nem na saída do hospital.

A visita do presidente à família Lula da Silva durou cerca de trinta minutos – este foi o primeiro encontro entre Temer e Lula após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Depois da visita, a Presidência da República divulgou fotos do encontro entre Temer e Lula.