Insuperável, Renan quebra recorde de inquéritos no STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou na noite desta quinta-feira (9) a abertura de inquérito para investigar os senadores Renan Calheiros e Romero Jucá, o ex-presidente da República José Sarney e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.

A decisão é do novo relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, que começa muito bem no relevante posto, em substituição a Teori Zavascki.
O pedido do Ministério Público Federal (MPF), assinado pelo procurador geral da República Rodrigo Janot é contundente e afirma categoricamente que o quarteto formava uma ‘quadrilha’.

O MPF baseou-se na delação premiada de Sérgio Machado, que gravou mais de seis horas de ligações telefônicas com os senadores e o ex-presidente Sarney.
Nos diálogos com o ex-diretor da subsidiária da Petrobras, Sarney, Renan e Jucá fizeram comentários que demonstravam suas intenções de brecar as apurações da Lava Jato.
Este é o 13º inquérito de Renan Calheiros no STF, um recorde.
Jornal da Cidade Online