Defesa de Lula quer absolvição completa de Marisa Letícia

A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, morreu morreu no último dia 3, aos 66 anos, no Hospital Sírio-Libanês , vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico, mas continua sendo ré em duas ações penais da Lava Jato, acusada em ambas do crime de lavagem de dinheiro.

Os advogados de Dona Marisa pediram ontem dia 13 sua absolvição sumária ao juiz federal ao juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba. Ele anexaram o atestado de óbito da ex-primeira-dama e citaram nas petições encaminhadas a Moro dois artigos do Código Penal, o 107 e o 397, para argumentar a extinção de qualuqer punição a Marisa, levando então a sua absolvição sumária.

“A presunção de inocência é garantia individual insculpida na Constituição da República como cláusula pétrea com os dizeres: ‘ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória’”, afirmam os defensores.

Marisa Letícia era acusada pelo Ministério Público Federal em dois processos da Lava Jato por supostamente ter participado dos crimes atribuídos pelos investigadores ao ex-presidente Lula: a posse de um tríplex no Guarujá (SP), construído e reformado pela empreiteira OAS, e a compra de um apartamento contíguo ao da família Lula da Silva no edifício Hill House, em São Bernardo do Campo (SP), com dinheiro de propina paga pela empreiteira Odebrecht por meio de um testa de ferro.
Fonte  Agência de Noticias