Após soltar o goleiro Bruno, Marco Aurélio, do STF diz: 'O clamor popular é insuficiente para justificar a prisão'.

“O Juízo, ao negar o direito de recorrer em liberdade, considerou a gravidade concreta da imputação. Reiterados são os pronunciamentos do Supremo sobre a impossibilidade de potencializar-­se a infração versada no processo.  

O clamor social surge como elemento neutro, insuficiente a respaldar a preventiva”, observou. 

“Colocou­s-e em segundo plano o fato de o paciente ser primário e possuir bons antecedentes. Temse a insubsistência das premissas lançadas. A esta altura, sem culpa formada, o paciente está preso há 6 anos e 7 meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato. A complexidade do processo pode conduzir ao atraso na apreciação da apelação, mas jamais à projeção, no tempo, de custódia que se tem com a natureza de provisória.” 

Via: folhapolitica.org/