Agora solto, goleiro Bruno ironiza Eliza Samudio

De acordo com O Antagonista, em sua primeira entrevista após deixar a prisão, o goleiro Bruno revelou como o rigor das penas não intimida quem está disposto a cometer um crime:

“Independente (sic) do tempo que eu fiquei também, eu queria deixar bem claro: se eu ficasse lá, tivesse prisão perpétua, por exemplo, no Brasil... não ia trazer a vítima [Eliza Samudio] de volta", afirmou à TV Globo.
O assassino agora goza e vive a vida em liberdade enquanto a vítima, Eliza, não teve a mesma sorte. 

É este mesmo Estado que soltou Bruno, que reclama e pune quando alguém faz justiça com as próprias mãos.

Créditos papotv.com