Para apoiar reeleição de Rodrigo Maia, PT exige 'chave do cofre' da Câmara


O PT mostra que não irá apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM) 'a troco de nada'. 
Rodrigo Maia busca apoio em todas as frentes para conseguir uma reeleição de presidente da Câmara dos Deputados. O Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partida Comunista do Brasil (PCdoB), foram procurados por Maia para um possível apoio. Muitos internautas criticaram a postura do partido de Maia, o Democratas (DEM). Nas redes sociais internautas avaliam que o DEM está buscando fazer um "pacto com o diabo", em referência ao PT.

O deputado Pauderney Avelino respondeu internautas avaliando que o DEM busca apoio de outros partidos, mas que não irá governar como um partido de esquerda e que todos devem se mantem calmos e confiantes com os Democratas.
Em um almoço, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), homenageou Rodrigo Maia perante vários outros deputados, mostrando apoio a Maia no comando da Câmara.
Exigência do PT
O PT teve muitos de seus membros do partido envolvidos em grandes escândalos de Corrupção, investigados de comandar o maior esquema corrupto da história do Brasil, é um partido que está sendo um dos alvos das operações Lava Jato.
Desde 2015, o PT foi excluído da mesa-diretora quando Eduardo Cunha assumiu o comando da Casa. Agora, o partido exige que para apoiar uma reeleição de Maia, os petistas sejam colocados na primeira-secretaria, assim, assumiriam o comando de um orçamento bilionário, R$ 5,2 bilhões.

A primeira-secretaria tem o objetivo de controlar a entrada de servidores comissionados, administra também posse de diretores e comanda todo o orçamento da Câmara dos Deputados. No gabinete, um primeiro-secretario tem o poder de comandar cerca de 17 cargos que recebem um salário de aproximadamente R$ 17 mil, além de poder nomear várias outras pessoas como comissionadas.

Sabotagem
O governo de Michel Temer estaria percebendo que petistas infiltrados no governo poderiam estar sabotando ao exercer cargos de confiança. Várias senhas de redes sociais do governo foram simplesmente vazadas e poderiam ser alguns petistas que realizaram tal ato.

Michel Temer já foi alertado por políticos sobe possíveis "sabotagens".