Juiz Federal dos EUA cala a boca de corruptos ao dizer que Lava Jato é exemplo para o mundo


Recentemente, o Juiz federal do Estado de Maryland, nos Estados Unidos, o americano Peter Messitte, disse que a Lava Jato conduzida pela Força Tarefa composta por PF, MPF e a 13ª Vara Federal de Curitiba, na qual figura a liderança do Juiz Sérgio Moro, é exemplo de combate à corrupção para o  mundo todo.

"Por muito tempo os brasileiros reclamaram da impunidade, e muitos achavam que era algo com que se devia conviver", ele diz em entrevista à BBC Brasil. "Isso mudou."
Segundo ele, a atuação do juiz Sérgio Moro e dos procuradores e policiais federais da Operação Lava Jato é citada em conferências globais como um exemplo do que pode ser feito contra a corrupção.
Ele afirma, porém, que há questionamentos legítimos sobre o uso de prisões preventivas no processo para conseguir acordos de delação premiada, quando réus confessam os crimes e aceitam colaborar com as investigações em troca de penas menores.
Vários réus na Lava Jato foram presos antes de serem condenados e negociaram acordos de delação enquanto estavam na prisão. Messitte criou laços com o Brasil na década de 1960, quando passou dois anos fazendo trabalho voluntário em São Paulo e aprendeu português.
Desde então, visitou o país várias vezes e se tornou um dos maiores especialistas estrangeiros no Judiciário brasileiro. Ele conheceu o juiz Sérgio Moro em julho, quando ambos participaram de um evento no Wilson Center, em Washington, e almoçaram na American University, onde Messitte dirige o Programa de Estudos Legais e Judiciais Brasil-EUA.  (Veja a entrevista completa na BBC Brasil)