Governo comemora decisão de Cármen Lúcia manter sigilo


Folha: O governo Temer preferia que a homologação das delações da Odebrecht ficasse a cargo do novo relator da Lava Jato, mas recebeu com alívio a informação de que o sigilo dos depoimentos não será levantado neste momento.

Na avaliação de assessores presidenciais, a decisão da presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, não foi a desejada, mas se mostrou equilibrada e não criou espetáculo com o gesto.

A verdade, é que sem o povo ficar sabendo o que foi delatado, os corruptos podem manobrar a vontade para liquidar a operação. 

Outro ponto, é que se houver vazamento durante o sigilo, a delação poderá ser cancelada, sendo que, quem pode vazar, são os próprios corruptos delatados. 

Créditos PAPOTV