Gilmar Mendes diz que a Lava Jato não é de processos de urgência e pode espera


O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, se posicionou sobre a sucessão de Teori Zavascki. Na sua avaliação, a Lava Jato não é urgente e o próximo relator deve ser o ministro indicado por Michel Temer. 
A informação é do blog de Lauro Jardim:

O entendimento de Gilmar Mendes sobre o futuro da relatoria da Lava-Jato é que a distribuição para outro ministro da corte e não para o novo indicado pelo presidente da República deveria se restringir a processos de urgência, o que não é o caso da Lava-Jato.

Em 2009, quando morreu Carlos Alberto Menezes Direito e Gilmar Mendes era o presidente do STF, ele assim o fez, mas apenas com habeas corpus, prisão preventiva para extradição, recursos com repercussão geral, extradições com o extraditando preso e outros processos com presos ou sob risco de prescrição.

Via: clickpolitica